Login
Registar
  • por
  • spa
  • eng
  • br

Tractorluso - FNA 2018


A Tractorluso, empresa do Grupo Auto-Industrial, é desde 1 de maio o novo importador da marca de tratores McCormick para o mercado português. O seu gerente é o experiente Miguel Vieira com quem tivemos a oportunidade de conversar durante a Feira Nacional de Agricultura.

Miguel Vieira
Responsável comercial da Tractorluso.
FNA 2018


ENTREVISTA

CM: Como carateriza a gama de equipamentos McCormick e qual a vossa abordagem ao mercado a partir de agora?

MV: A McCormick produz e comercializa tratores convencionais dos 44 aos 310 CV e tratores especializados, como podem ser os isodiamétricos, dos 45 aos 75 cv. Na Tractorluso vamos, desde logo, concentrar-nos no comércio de tratores convencionais acima dos 100 cv, não descorando os tratores de menor potência que são muito importantes para a McCormick e têm, claramente, um importante reconhecimento junto dos agricultores nacionais. O intervalo de potência em que acreditamos que podemos fazer um trabalho mais diferenciado é nos equipamentos entre os 130 e os 280 cv, trata-se de um intervalo que a McCormick tem bem definido e, no entanto, não foi muito explorado em Portugal até à data. Nas conversas que já tivemos com o mercado identificámos que é um trator com uma aceitação muito boa. Atualmente a gama McCormick conta com máquinas muito evoluídas tecnologicamente como podem ser os tratores equipados com transmissão continuamente variável VT-Drive. Além disso, para uma operação intensiva isenta de fadiga existem sistemas telemáticos e cabines de primeira qualidade que permitem um acompanhamento constante e sem esforço do trabalho de campo e de transporte.

CM: Quanto ao estabelecimento da nova rede de concessionários, em que fase estamos?

MV: O objetivo da Tractorluso é tentar manter a rede já existente. A maior parte da rede de vendas que vai trabalhar com a Tractorluso já operava com a marca anteriormente. Obviamente, existem sempre alguns ajustamentos, mas deverão ser poucos e cirúrgicos.

CM: Neste momento, em termos comerciais, já se regista atividade?

MV: Até ao final do verão prevemos colocar já algumas máquinas nos campos nacionais, pois são diversas as operações em curso. A aceitação do trator no mercado augura bons resultados, existe uma interessante percepção da marca.

CM: Em termos de novidades, para o outono/inverno existem lançamentos previstos?

MV: Nesta fase a marca está a adaptar-se às importantes alterações estruturais derivadas da Mother Regulation e, por isso, irão existir novidades com equipamentos completamente novos a partir de setembro.

CM: Tendo em conta que a aposta será maior nos equipamentos de alta potência haverá uma distribuição mais visível na região a sul do Tejo?

MV: Obviamente, vamos tentar ter uma melhor presença de Santarém para sul. Mas isso não significa que nos esqueçamos de continuar o trabalho que se desenvolveu nos equipamentos mais pequenos. Em relação ao nicho de mercado de tratores especializados e menos potentes vamos continuar a trabalhar muito bem a região Norte e Centro, pois aqui procuram-se intervalos de potência e modelos em que a marca já é reconhecida. Mas, insisto que sem descorar a gama completa da McCormick, vamos potenciar a gama mais alta.

VEJA A FOTO-REPORTAGEM DO STAND - FNA 2018