Tractores Ibéricos na FNA concentrados no crescimento da Kubota em Portugal

13 Jun 2022

A Kubota, através da Tractores Ibéricos, esteve mais uma vez muito bem representada na Feira Nacional de Agricultura. Além do acompanhamento permanente aos visitantes, quer fossem clientes finais ou rede de concessionários, a equipa da Tractores Ibéricos conseguiu reunir e apresentar a sua gama quase completa de tractores e equipamentos onde se destacam duas novidades essenciais:

A linha LX com transmissão mecânica, tendo exposto o LX-351, e os atomizadores/pulverizadores Kubota, com a exposição do modelo XTA2230.

Carlos Ramos, Responsável Pós-venda, Bruno Pignatelli, Gerente da Tractores Ibéricos e Paulo Vieira, Gestor Comercial Tractores Kubota

Conforme nos contou Bruno Pignatelli, gerente da Tractores Ibéricos, o trator LX-351 era uma necessidade antiga da marca para o mercado português. Até agora a gama de 35 CV contava apenas com tratores hidrostáticos. Este trator de transmissão mecânica é um equipamento muito adequado a culturas especializadas como vinhas e pomares. Compacto com 1500 cc de cilindrada, 4 cilindros e um regime nominal de 2.600 rpm, conta, como não poderia deixar de ser, com o cumprimento da regulamentação de emissões Stage V. A transmissão mecânica é de 12+12 velocidades sincronizadas, a direção é assistida e o sistema hidráulico conta com controlo de posição e de esforço, o regime da TDF é de 540/540E rpm. As dimensões são muito adequadas à utilização também em estufas e espaços confinados, beneficiando de uma largura mínima do trator de apenas 1 metro. O seu peso também é muito reduzido o que traz grandes vantagens em termos de baixa compactação do solo.

A Kubota, apresenta também novos atomizadores rebocados para culturas especializadas, trata-se do XTA2230.
Estes equipamentos fabricados em Espanha na Fede (marca adquirida recentemente pela Kubota) possuem uma série de inovações tecnológicas que garantem uma utilização mais sustentável e mais amiga do ambiente e da carteira do agricultor.

Características principais:

  • Grupos de ar QI: cobertura homogénea da planta em zonas exteriores e interiores e nas diferentes alturas do cultivo.
  • Poupança de combustível de 4 l/h.
  • Desenhado para evitar problemas mecânicos.
  • Pulverizadores respeitadores do meio ambiente.
  • Depósitos com capacidade entre 1000 e 4000 litros.
  • Diâmetro de ventilador de 800mm e 900 mm.
  • Caudal de ar desde 43000m3/h até 110.000m3/h.
  • Capacidade da bomba de 105l/min, 120l/m ou 160l/m.
  • Configuração ideal para culturas como vinha, pomares, citrinos, olival e lenhosos.

Este equipamento conta com tecnologia avançada H3O que regula e ajusta a aplicação de tratamentos fitossanitários em função do volume da cultura. A conexão à internet do pulverizador permite-lhe enviar ordens de trabalho e registar todos os dados de pulverização, proporcionando assim uma rastreabilidade real. Este atomizador reduz a deriva em até 50%, o uso de pesticidas em 25% e o consumo de combustível em 4 l/h. 

Relativamente à participação na feira, Bruno Pignatelli afirmou "Nunca falhámos uma FNA, mesmo no ano passado, o ano de reabertura, fomos das poucas marcas que cá estivemos, e continuamos por cá. Conseguimos reunir todas as nossas gamas e todos os nossos modelos. A maior parte deles já estão inclusivamente vendidos. Os concessionários estão à espera de os entregar aos clientes finais". Em relação aos constrangimentos do mercado relacionados com os problemas logísticos e outros, como a guerra, contou-nos "Vamos certamente continuar a atravessar dificuldades a curto prazo. Toda a parte logística, as fábricas estão completamente cheias de trabalho... não estou a ver a curto prazo, nem no início do próximo ano, condições para melhorar as entregas. Dito isto, o mercado está em alta, relativamente ao ano passado. Até final de maio continua uma tendência de subida de cerca de 15%. Na Kubota, estamos a recuperar alguma quota de mercado, perdida no ano passado, exatamente por não termos produto. Não conseguimos recuperar ainda o nível de inventários que costumamos ter e que queremos ter para ajudar e suportar os nossos concessionários nas vendas e não vejo que a curto prazo consigamos resolver o problema. Trabalhamos para ter stock suficiente para poder servir os nossos concessionários, e também apoiá-los em eventos, em feiras e demonstrações. A nossa postura é sempre essa: ajudar o nosso concessionário a chegar mais além"