Popup Banner Popup Stihl Oferta Bateria Primavera 2024
NOTICÍA

A MAN alarga a sua oferta de emissões zero

15 Abr 2024

Pequena série de camiões com combustão de hidrogénio prevista para 2025.

 

- Inicialmente cerca de 200 veículos para mercados selecionados

- O hTGX é particularmente adequado para aplicações especiais

- O veículo complementa o portfólio de veículos elétricos a bateria

 

O fabricante de veículos comerciais MAN Truck & Bus será o primeiro produtor europeu de camiões a lançar uma pequena série com um motor de combustão a hidrogénio. A pequena série inicialmente planeada de cerca de 200 unidades deverá ser entregue a clientes na Alemanha, Holanda, Noruega, Islândia e em países não europeus selecionados, já em 2025. O "MAN hTGX", o nome pelo qual o veículo será designado, oferece uma variante alternativa de condução com emissões zero para aplicações especiais, por exemplo, para o transporte de mercadorias pesadas - como trabalhos de construção, transporte de tanques ou transporte de madeira. O hTGX também pode ser uma alternativa ecológica aos camiões elétricos a bateria para utilização em áreas sem infraestruturas de carregamento suficientes ou para mercados onde já existe hidrogénio suficiente. A MAN entregará o hTGX aos clientes pela primeira vez em 2024 e aumentará a produção a partir de 2025. A MAN é líder de mercado de autocarros urbanos elétricos na Europa desde 2023.

 

"Continuamos a apostar nos veículos elétricos a bateria para descarbonizar o transporte rodoviário de mercadorias. Atualmente, estes veículos apresentam vantagens claras em relação a outros meios de transporte em termos de eficiência energética e de custos operacionais e energéticos. No entanto, os camiões alimentados por motores de combustão a hidrogénio são um complemento útil para aplicações e mercados especiais. Prevemos que a grande maioria das aplicações de transporte dos nossos clientes será melhor servida com camiões alimentados por baterias. Para aplicações especiais, a combustão de hidrogénio ou, no futuro, a tecnologia de células de combustível é um complemento adequado. O motor de combustão a hidrogénio H45 baseia-se no comprovado motor diesel D38 e é produzido na fábrica de motores e baterias em Nuremberga. A utilização de tecnologia conhecida permite-nos entrar no mercado numa fase inicial e, assim, dar um impulso decisivo para o aumento da infraestrutura de hidrogénio. Com o hTGX, acrescentamos agora um produto atrativo ao nosso portfólio de emissões zero", diz Friedrich Baumann, membro do Conselho Executivo da MAN Truck & Bus e responsável pelas Vendas e Soluções para o Cliente.

 

O conjunto propulsor a hidrogénio é particularmente adequado para tarefas de transporte especiais que requerem uma configuração de eixo especial ou onde não há espaço para a bateria no chassis devido à necessidade equipamentos ou carroçarias no camião. O MAN hTGX oferece cargas úteis elevadas e alcances máximos de até 600 quilómetros nas variantes de eixo 6x2 e 6x4 inicialmente oferecidas. O motor de combustão a hidrogénio H45 utilizado tem uma potência de 383 kW ou 520 cv e um binário de 2500 Nm a 900-1300 rpm. A injeção direta de hidrogénio no motor assegura um fornecimento de potência particularmente rápido. Com o hidrogénio comprimido a 700 bar (CG H2) e um depósito com 56 kg de capacidade, o veículo pode ser reabastecido em menos de 15 minutos. Com menos de 1g de CO2/tkm, o MAN hTGX preenche os critérios de "veículo de emissões zero", de acordo com a nova legislação da UE sobre CO2.

 

O Dr. Frederik Zohm, membro do Conselho Executivo para a Investigação e Desenvolvimento, acrescenta: "Os novos regulamentos sobre CO2 a nível da UE irão classificar os camiões com motores de combustão a hidrogénio como veículos de emissões zero. Isto significa que estes veículos contribuem plenamente para os nossos objetivos de frota de CO2, o que também abre a porta a esta pequena série que complementa os veículos elétricos a bateria. Ao mesmo tempo, dependendo do país, os nossos clientes beneficiam de reduções de portagens correspondentes, por exemplo. Na fábrica da MAN em Nuremberga, temos a tecnologia de motores mais inovadora e décadas de experiência na utilização do hidrogénio como combustível. Com o MAN hTGX apresentamos um verdadeiro MAN. O novo camião de combustão a hidrogénio baseia-se na série de veículos TG testada e comprovada e convence pela sua elevada qualidade e manutenção simples. Continuaremos a investigar a tecnologia de células de combustível baseada na tecnologia de baterias e hidrogénio. A tecnologia de combustível H2 também está em preparação na MAN. No entanto, serão necessários vários anos até que a tecnologia esteja realmente pronta para o mercado e se torne competitiva."

 

Tal como no caso da e-mobilidade, a MAN não só dá ênfase ao desenvolvimento e produção de veículos inovadores e fiáveis, em linha com a sua afirmação "Simplifying Business", como também apoia os clientes com ofertas abrangentes de serviços e consultoria na mudança de veículos a gasóleo para veículos de emissões zero.

 

MAN e hidrogénio - uma história de longa data

A MAN tem uma longa história com os motores a hidrogénio, a empresa já os investiga há décadas. Na Feira de Hannover de 1996, a MAN Truck & Bus apresentou o primeiro autocarro movido a hidrogénio: o autocarro urbano SL 202 era movido por um motor a gás natural, modificado para o funcionamento a hidrogénio. Após a Feira de Hannover, o veículo completou uma fase de testes de três quartos de ano em Erlangen, durante a qual percorreu 13.000 quilómetros e transportou 60.000 passageiros. O autocarro chegou finalmente a Munique em 1997 e foi colocado com êxito em serviço regular nessa cidade. Seguiram-se, em 1998, três autocarros articulados para o aeroporto de Munique, que foram utilizados até 2008, e mais 14 autocarros movidos a hidrogénio entre 2006 e 2009.

 

Para além da experiência anterior e mais recente com veículos comerciais, a MAN está agora a desenvolver e a testar o motor a hidrogénio para a área de Motores MAN numa vasta gama de aplicações na estrada e fora dela, bem como na água. Ele é adequado, por exemplo, para veículos especiais - como veículos de neve - para comboios em rotas não eletrificáveis e para escavadoras e gruas. A utilização em centrais de produção combinada de calor e eletricidade também faz sentido, especialmente se o calor gerado puder ser utilizado para além da eletricidade.